Google Tag Manager

segunda-feira, 3 de fevereiro de 2014

Austria

Áustria

Áustria
Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Fonte: http://pt.wikipedia.org/wiki/%C3%81ustria

Republik Österreich
República da Áustria



Bandeira Brasão de armas

Lema: nenhum
Hino nacional: Land der Berge, Land am Strome


Gentílico: austríaco



Localização da Áustria (em vermelho)
No continente europeu (cinza)
Na União Europeia (em branco)

Capital Viena
48° 12' 00" N 16° 21' 00" E
Cidade mais populosa Viena
Língua oficial Alemão1
Línguas regionais:Esloveno, CroataHúngaro
Governo República FederalParlamentarista
- Presidente Heinz Fischer
- Chanceler Werner Faymann
- Presidente do Conselho Nacional Barbara Prammer
Independência
- Tratado do Estado Austríaco 27 de Julho de 1955(Ducado:1156
Império Austríaco:1804
Primeira República Austríaca: 1918–1938
Segunda República: desde 1945)
- Declaração de neutralidade 26 de Outubro de 1955
Entrada na UE 1 de Janeiro de 1995
Área
- Total 83 879 km² (115.º)
- Água (%) 1,7
Fronteira Alemanha, República Checa, Eslováquia,Hungria, Eslovénia, Itália,Suíça e Listenstaine
População
- Estimativa de 2009 8 393 6002 hab. (93.º)
- Censo 2001 8 032 926 hab.
- Densidade 100 hab./km² (100.º)
PIB (base PPC) Estimativa de 2010
- Total US$ 330,496 mil milhões*
- Per capita US$ 39 454
PIB (nominal) Estimativa de 2010
- Per capita US$ 43 723
IDH (2012) 0,895 (18.º) – muito elevado3
Gini (2007)
Moeda Euro (€)1 (EUR)
Fuso horário CET (UTC+1)
- Verão (DST) CEST (UTC+2)
Org. internacionais União Europeia,ONU, CE, OCDE
Cód. Internet .at2
Cód. telef. +43




1 Antes de 1999: xelim austríaco.
2 O domínio .eu é também utilizado, compartilhado com outros Estados membros da União Europeia.


Áustria (em alemão, Österreich [ˈøːstɘrɑeç]), oficialmente República da Áustria (Republik Österreich), é um país de cerca de 8,3 milhões de habitantes,2 localizado na Europa Central

Faz fronteira com a Alemanha e com a República Checa no norte, EslováquiaHungria a leste, Eslovênia e Itália a sul e Suíça e Liechtenstein a oeste. 

O território da Áustria abrange 83 872 quilômetros quadrados e é influenciado por um clima temperado e alpino. O terreno da Áustria é muito montanhoso, devido à presença dos Alpes; apenas 32% do país é inferior a 500 metros de altura e seu ponto mais alto está a 3797 metros.4 A maioria da população fala alemão,5 que também é língua oficial do país.1 Outros idiomas oficiais locais são croata, húngaro e esloveno.4

As origens da Áustria remetem-se ao tempo do Império Romano, quando o Reino Nórico, de origem celtas, foi conquistado pelos romanos por volta de 15 a.C. e, mais tarde, tornou-se Nórica, uma província romana, em meados do século I d.C.,6 em uma área que abrangia a maior parte da Áustria atual. 

Em 788 d.C., o rei franco Carlos Magno conquistou a área e introduziu o cristianismo

Sob a dinastia nativa dos Habsburgo, a Áustria tornou-se uma das grandes potências da Europa

Em 1867, o Império Austríaco foi incorporado pela Áustria-Hungria.

O Império Austro-Húngaro desmoronou em 1918 com o fim da Primeira Guerra Mundial

Depois de estabelecer a Primeira República Austríaca, em 1919, a Áustria foi, de fato, anexada à Grande Alemanha pelo regime nazista no chamado Anschluss, em1938.7 Isto durou até o final da Segunda Guerra Mundial, em 1945, depois que a Áustria foi ocupada pelos Aliados

Em 1955, o Tratado do Estado Austríaco restabeleceu a Áustria como um Estado soberano e o fim da ocupação. No mesmo ano, o Parlamento austríaco criou a Declaração de Neutralidade, que estabeleceu que o país se tornaria neutro.

Hoje, a Áustria é uma democracia representativa parlamentar composta por nove estados federais.4 8 

A capital - com uma população superior a 1,6 milhão, a maior cidade da Áustria - é Viena.4 9

A Áustria é um dos países mais ricos no mundo, com um PIB nominal per capita de 43 570 dólares

O país tem desenvolvido um alto padrão de vida e em 2008 ficou na 14ª posição no mundo no Índice de Desenvolvimento Humano

A Áustria é um membro das Nações Unidas desde 1955,10 aderiu à União Europeia em 19954 e é um dos fundadores da OCDE.11 Áustria também assinou o Acordo de Schengen em 1995,12 e adotou a moeda europeia, o euro, em 1999.

Índice
1 História
1.1 Alta Idade Média
1.2 Carlos Magno
1.3 Habsburgo
1.4 República Austríaca
2 Geografia
3 Demografia
3.1 Religião
3.2 Política referente aos grupos étnicos
4 Política
4.1 Principais partidos e seus líderes
4.2 Política externa
5 Divisão administrativa
6 Economia
7 Infraestrutura
7.1 Educação
7.2 Qualidade de vida e sistema social
8 Cultura
8.1 Música
8.2 Artes plásticas
8.3 Ciência e filosofia
8.4 Literatura
8.5 Culinária
8.6 Esportes
8.7 Feriados
9 Referências
10 Ver também
11 Ligações externas


História
Ver artigo principal: História da Áustria

Na pré-história, a região da Europa Central atualmente correspondente à Áustria foi ocupada antes da romanização por diversas tribos celtas. Foi habitada inicialmente por ilírios, aos quais posteriormente se juntariam os celtas provenientes do norte. O reino celta deNoricum foi anexado pelo Império Romano como província.

Com a queda do Império Romano (século IV), povos bárbaros incluindo hunos, godos,lombardos e vândalos cruzaram a fronteira em diversas ocasiões. Depois da queda do império, a região foi invadida por bávaros, eslavos e ávaros.

Alta Idade Média

Durante o período das grandes migrações, os eslavos se transferiram para os Alpes quando teve início a expansão dos ávaros no século VII, misturando-se com a população celto-românica, e estabeleceram o reino da Caríntia, que incluía grande parte do atual território austríaco oriental e central. Enquanto isso, a tribo germânica dos bávaros ocupara o oeste da região durante os séculos V e VI, assim como na Baviera. Estes grupos se misturaram com a população retorromana.

Sob a pressão dos ávaros, a Caríntia perdeu sua independência para a Baviera em 745 d.C. e se tornou um margraviato. Durante os séculos seguintes, os assentamentos bávaros cruzaram a região que vai desde o Danúbio até a região dos Alpes, processo pelo qual a Áustria se tornou um país de fala alemã até os dias atuais.

Os bávaros passaram a estar sob o controle dos carolíngios e, consequentemente, formaram um ducado do Sacro Império Romano-Germânico

O duque Tassilão III da Baviera, que quisera manter a independência bávara, foi derrotado e o poder passou para Carlos Magno em 788 d.C.


Carlos Magno

Carlos Magno conquistou a região em 788 e introduziu o cristianismo

Como a parte oriental da França, as principais regiões que agora incluem a Áustria foram legadas à casa de Babenberg
A região era conhecida como a Marchia Orientalis e foi entregue a Leopoldo I da Áustria em 976.

O registro mais antigo do nome "Áustria" é de 996, no qual está inscrito como Ostarrîchi. Refere-se ao território governado pelos Babenberg. O termo ocidental "Áustria' não é determinado historicamente, embora parece ser uma tradução de "Marchia orientalis", que só chegou muito mais tarde.

Na Idade Média, o Império Carolíngio estabeleceu-se na região. Do século X até o século XIII, a Áustria esteve sob o domínio dos Babenberg, que foram sucedidos pela casa dos Habsburgo, cuja história se funde com a da Áustria desde esse momento até o fim da Primeira Guerra Mundial.

Os séculos seguintes caracterizam-se em primeiro lugar pela conformação do país. Em 1156, o Privilegium Minus Austria eleva o território à categoria de ducado. Em 1192, a família Babenberg adquiriu também o ducado da Estíria.

Com a morte de Frederico II em 1246, a dinastia dos Babengerg se extinguiu depois de aquele ser substituído por Karl Lotringen. Ottokar II da Boêmia controlou efetivamente a Prússia, a Estíria e a Caríntia. Seu reinado chegou ao seu fim quando foi derrotado em Dürnkrut porRodolfo I de Habsburgo em 1278. Daí em diante, até a Primeira Guerra Mundial, a história da Áustria foi em grande parte a história de sua dinastia governante, a dos Habsburgo.

Habsburgo

Ver artigo principal: Casa de Habsburgo

O Palácio de Schönbrunn, onde nasceu e morreu o imperador Francisco José I.

Nos séculos XIV e XV, os Habsburgo começaram a acumular outras províncias nas proximidades do Ducado da Áustria, como o Tirol, a Caríntia, a Estíria e a Gorizia.

Em 1438, o duque Alberto V foi escolhido como sucessor de seu sogro, o imperador Sigsmundo. Ainda que o próprio Alberto tenha reinado somente por um ano, a partir de então todos os imperadores do Sacro Império Romano-Germânico pertenceram à dinastia dos Habsburgo, com apenas uma exceção.

Ainda assim, os Habsburgo começaram a acumular territórios longe de suas terras hereditárias. 
Em 1477, o arquiduque Maximiliano I, filho único do imperador Frederico III, casou-se com a herdeira do Ducado de Borgonha e, portanto, adquiriu a maior parte dos Países Baixos para a família. 

Seu filho Felipe, o Formoso, casado com a herdeira da coroa de Castela e de Aragão, ampliou as possessões territoriais dos Habsburgo, sobretudo dos espanhóis. 

Em 1526, com a Batalha de Mohács, os governantes da Áustria ampliaram seus territórios, de forma que as partes da Boêmia e da Hungria que não eram ocupadas pelos otomanos ficaram sob seu domínio. 
A expansão otomana na Hungria deu lugar a frequentes conflitos entre os dois poderes, particularmente evidente na chamada Guerra Larga de 1593 até 1606.

Nos séculos XVII e XVIII, os Habsburgo ampliaram enormemente seus territórios ante a decomposição do poder otomano (1699 e 1718), e parte da herança hispânica (1713-1714) e polonesa (1772 e 1795). 

Os reinados de Maria Teresa (1740-1780) e de seu filho José II (1765-1790) foram um período de grande desenvolvimento social e político na monarquia (abolição da servidão, liberdade religiosa, abolição da tortura, reformas administrativas e judiciais, centralização administrativa, entre outras medidas), dentro do espírito do despotismo esclarecido.



Fotografia aérea do Palácio Imperial de Hofburg, em Viena, centro de poder da dinastia dos Habsburgos.

As guerras napoleônicas foram uma dura prova para a sobrevivência da monarquia. 

O imperador Francisco José I foi obrigado a abdicar da coroa do Sacro Império Romano-Germânico e viu seus domínios serem "divididos" pelos aliados de Napoleão Bonaparte; o Tirol foi ocupado pelo Reino da Baviera e pelo Reino da Itália, ocasionando na guerra de resistência tirolesa comandada por Andreas Hofer, considerado o maior herói tirolês. 
Também o Principado Episcopal de Trento, assim como o de Bressanone teve seu fim com a invasão francesa.

Com a queda de Napoleão na Rússia, a vitória das potências reforçou os Habsburgo, que com seu chanceler Metternich se tornaram os pilares para a restauração (1815-1848).

O surgimento do nacionalismo e as derrotas externas entre 1848 e 1866 (perda do Reino Lombardo-Vêneto) levaram à reorganização da monarquia, nascendo o Império Austro-Húngaro, tendo no imperador Francisco José Ie em sua esposa Isabel, conhecida como Sissi, seus maiores expoentes.

O Império Austro-Húngaro marcou o último período da monarquia dos Habsburgo (1867-1918) e um último suspiro da "velha Europa". 

Foi um período caracterizado pela permanente crise política entre as diversas nacionalidades, mas também por um grande desenvolvimento econômico, social e cultural que influenciou toda a Europa.

República Austríaca

A Rathaus de Viena: sede do poder legislativo.
Ver artigo principal: Áustria Alemã

Em 1918, depois da derrota na Primeira Guerra Mundial e desmembramento do Império Austro-Húngaro, é criada a República da Áustria Alemã, depois modificada pelos vencedores da Primeira Guerra Mundial. A Áustria tornar-se-ia uma república parlamentarista, que foi caracterizada por permanente crise econômica, política e social. Em 1934, o chanceler Engelbert Dollfuss estabeleceu uma ditadura conservadora, que não conseguiu deter a expansão da Alemanha nazista.

A Áustria foi anexada pela Alemanha nazista em 1938 (o Anschluss), passando a ser o Ostmark dentro da Alemanha Nazista. Depois da derrota dos nazistas, as forças aliadas ocuparam a Áustria no fim da Segunda Guerra Mundial até 1955, ano em que o país voltou a ser plenamente independente, com a condição de permanecer neutro.

Os anos entre 1950 e 1960 marcam uma disputa territorial entre Áustria e Itália pelo território do Tirol Meridional, ocupado e anexado pela Itália em 1918. Grupos separatistas como o Südtiroler Freiheitskämpfer e o MST (Movimento Separatista Trentino) chamaram a atenção internacional e a questão tirolesa foi parar nas Nações Unidas

Após negociações entre Viena e Roma, surge o Acordo Degasperi-Gruber sobre o pacote de autonomia regional concedido à região sul-tirolesa, a Itália (tendo a Áustria como tutora e observadora). O acordo garante até os dias atuais autonomia administrativa e fiscal às Província de Bolzano e Província de Trento.

Depois do colapso do comunismo no Leste Europeu, a Áustria aumentou sua participação nas questões europeias. Em 1995 a Áustria passou a integrar a União Europeia e em 1999 adotou como moeda o Euro.

Para saber mais, clique sobre Mais informações, abaixo.